Como organizar as coisas e mantê-las organizadas?

Está aí um assunto do qual eu gosto de falar, porque, normalmente, a gente trata a organização de forma bem direcionada, na maioria das vezes com dicas práticas e pontuais, mas que nem sempre resolvem o problema de verdade.

Refletindo sobre esse assunto, eu acabei escrevendo um ebook, um guia e fazendo 10 vídeos falando sobre como acabar com a bagunça de uma vez por todas. E, hoje, o foco vai ser como organizar as coisas no seu devido lugar. Vamos lá? 

O definitivo é que tudo é mutável

Em todos esses lugares, eu falo sobre um processo de 10 passos, que não termina no décimo passo. Organizar as coisas é, assim como tudo na nossa vida, uma tarefa viva e mutável. A rotina é agitada, os nossos hábitos, da casa e da família mudam o tempo todo, por diversas razões – e é assim mesmo para todo mundo.

Ainda bem! Imagina que saco se fosse tudo um marasmo eterno? 

Nada é definitivo na vida, por que o processo de organizar as coisas vai ser?! O que tem que ser definitivo é a consistência das suas ações.

Uma organização definitiva não se limita a dicas especificas de como dobrar uma peça de roupa ou organizar seus potes no armário da cozinha. O que eu falo é sobre um processo, sobre atitudes e etapas de tomada de consciência do seu espaço e das suas coisas.

Se você tem essa consciência e toma suas ações apoiada nela, vai conseguir manter as suas coisas organizadas e acabar com a bagunça de uma vez por todas.

A verdadeira dificuldade de organizar as coisas

É fundamental que cada uma das suas coisas tenha um lugar, e isso não é nenhuma novidade, é conceito básico de organização.

Mas, como você define esses lugares e mantem as coisas organizadas neles?! Essa é a grande dúvida e, também, um grande exercício, que, muito provavelmente, não será definitivo.

lego

Eu gosto dessa imagem do lego porque o objetivo é mudar e recomeçar sempre, mas não de qualquer jeito. Mudar para alcançar a nova forma que atende ao que a gente quer fazer.

E a solução é…

Tenha consciência das coisas e do espaço que você tem, e dê para eles o uso mais adequado à sua rotina.

A organização definitiva das suas coisas, do seu espaço e da sua vida é uma contínua adaptação feita em equilíbrio com as suas necessidades. Pode até parecer contraditório, mas não é. 

Eu, como organizadora, posso te ajudar a ter essa consciência e a aprender a tomar atitudes apoiadas nela, mas o sucesso desse projeto não depende só de mim, nem de qualquer outra pessoa além de você e de quem divide o espaço com você (isso é assunto para outro dia). Você pode até fazer sozinha, se quiser.

Em resumo, na prática eu sugiro assim:

  • Pense no uso que você dá para as coisas e mantenha apenas aquelas que realmente têm algum uso.
  • A partir daí, defina o melhor lugar para organizar as coisas, que devem estar acessíveis e facilmente identificáveis.
  • Depois, mantenha elas lá, insista, seja consistente, pois só assim criamos um novo hábito. Aí está a importância da consistência.
  • Se, ainda assim, não estiver funcionando e for um esforço muito grande para você mantê-las lá, pare e pense.
  • Será que há outra forma? Pergunte-se de novo “como eu interajo com essas coisas?”. “O que da minha interação com elas está desalinhado com a forma como elas estão organizadas?”. E, se for preciso, mude! Mas, não desista e abandone em alguma gaveta ou superfície qualquer. Recomece, tente de novo de outro jeito e insista novamente.

Eu te garanto que você não vai se arrepender.

Se você quiser saber um pouco mais sobre como organizar as coisas, comece pelo guia, ele é gratuito – ou se preferir, assista aos vídeos. Você já tentou se organizar e achou que não deu certo? Me fala sobre a sua experiência, quem sabe eu posso te ajudar? Até a próxima.

Esta entrada foi publicada em Sem categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: